Vamos mergulhar nas profundezas do Pentateuco e entender esses aspectos cruciais.

  1. Motivos pelo quais o Pentateuco foi escrito:
    • Identidade e Herança: O Pentateuco foi escrito para estabelecer uma identidade para o povo de Israel, detalhando sua origem, história e propósito divino.
    • Instrução Moral e Ética: Ele serve como uma base moral e ética, orientando os israelitas sobre como viver retamente diante de Deus.
    • Relacionamento com Deus: O Pentateuco delineia a relação de Israel com Deus, estabelecendo os termos da aliança e destacando a santidade de Deus.
  2. Cenário religioso de Gênesis: No começo, há uma ênfase na soberania e criação de Deus. À medida que a narrativa avança, vemos a revelação progressiva de Deus a indivíduos como Adão, Noé, Abraão e Jacó.
  3. Objetivo do livro de Gênesis: Estabelecer as origens da humanidade, a relação de Deus com a humanidade e destacar o começo da linhagem prometida através de Abraão.
  4. Profecia específica sobre Jesus Cristo: Em Gênesis 3:15, a promessa de que a descendência da mulher esmagaria a cabeça da serpente é vista como uma referência messiânica a Jesus.
  5. Tema do livro de Êxodo: Libertação de Israel da escravidão no Egito e a jornada para estabelecer uma aliança com Deus no Monte Sinai.
  6. Autor: Tradicionalmente, Moisés é considerado o autor do Pentateuco.
  7. Objetivo de Gn 1:14: Usando termos como “luzeiros” e “luminares”, o autor deseja evitar qualquer associação dos corpos celestes com deidades pagãs, centrando-se no poder criativo de Deus.
  8. Dois principais gêneros do Pentateuco: Narrativo e Legal.
  9. Definição e Objetivo da Lei: A Lei, ou Torá, é um conjunto de mandamentos e regulamentos dados por Deus a Israel. Seu objetivo é guiar o povo na adoração correta e na conduta ética.
  10. Capacidade da Lei: A Lei não tem capacidade de salvar porque é um reflexo da santidade de Deus. Ela aponta para a necessidade de salvação, mas não pode, por si só, alcançá-la.
  11. Função de Israel para as nações: Israel deveria ser uma luz para as nações, mostrando a glória de Deus e Seus caminhos.
  12. Aplicabilidade da lei ao cristão: A lei moral, que reflete o caráter de Deus, ainda é relevante, mas os cristãos não estão sob a lei cerimonial, pois ela foi cumprida em Cristo.
  13. Papel missiológico de Israel: Israel foi chamado para ser testemunha de Deus, revelando Sua glória e caráter para todas as nações.
  14. Atenção de Deus para si mesmo: Deus chama atenção para Si mesmo não por ego, mas porque Ele é a única fonte de verdade, amor e justiça. Ele deseja o melhor para Sua criação.
  15. Rm 7:12 e a incapacidade da Lei: A Lei é santa, mas ela revela o pecado. Ela mostra nossa necessidade de um Salvador, mas não tem o poder de salvar.
  16. Problema da Lei: O problema não está na Lei, mas na natureza pecaminosa do ser humano. A Lei expõe essa natureza.
  17. História de Israel e a limitação da Lei: A história de Israel mostra repetidamente sua incapacidade de cumprir a Lei, destacando a necessidade de uma nova aliança e um coração transformado.
  18. Lei sob a qual o cristão está: Os cristãos estão sob a “lei de Cristo” (Gálatas 6:2), que se resume em amar a Deus e ao próximo.

É fundamental que mergulhemos na palavra de Deus e entendamos seu propósito. O Pentateuco, sendo a fundação do Antigo Testamento, é essencial para compreender o plano redentor de Deus para a humanidade. Abrace esta jornada de descoberta e seja transformado pela verdade revelada nas Escrituras!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *